sábado, 12 de fevereiro de 2011

Em algum café de Paris .

Sem que ambos percebessem , eu os fiquei observando  . Seus olhares rápidos , e seu idioma tão mal falado . Quem sabe fosse um casal bem nascido que passava sua lua de mel por aqui , ou talvez recém-moradores. Eu só sei que aquela cena me prendia . Era tão comum mas chamava minha atenção. O modo como discutiam :'vous voulez du café fort ou plus faible?' . Era como se tudo pra eles fosse novo .Como se cada experiência de segundos o fizessem sofrer uma alegria perfeitamente simétrica em seu ego . Via-se tantas carícias porem poucas palavras . Era um momento mudo que tanto falava . Um momento único tantas vezes já visto . Um perfeito sarcasmo do ingrediente principal de Paris: l'argent riches , pauvres d'amour . Mas dirijo novamente meu olhar a mesa , e estes agora parecem estar saindo .Se entreolham . Mas antes de sairem o homem saca de uma pequena bolsa uma câmera e registra a imagem da mulher ali .Agora quase posso confirmar que são turistas . Ó , tão pobres em sua sub-inteligência de achar que Paris é um lugar convidativo ou atraente .  Naquele dia nada ocorreu com anormalidade . Mas percebi que crescemos numa ilusão semi-pronta escalada pela mídia mundialmente irônica . É . L'amuor

2 comentários:

  1. l'amour est vendu dans boîte.

    Assinado: Aquele que não existe.

    ResponderExcluir