domingo, 3 de março de 2013

Um idiota na montanha.

Achavam estranho ele falar das estrelas, do seu brilho e do contraste do negro céu e os pontos brancos. Achavam estranho quando ele dizia que cria no amor e que amava a tudo incondicionalmente, mesmo aquilo que não pudesse ter. Achavam estranho quando ele dizia que tolos são só aqueles que vivem na lucidez. Mas no entanto, enquanto todos tinham algo pra achar a seu respeito, ele continuava falando das estrelas, crendo no amor incondicionalmente, sendo lúcido em sua condição chamada de loucura... E ele viveu, como um idiota na montanha, observando os que se diziam espertos andar pelas terras baixas. Mas no fundo ele sabia que o céu era seu... Porque o único limite que ele imponha era o morrer enquanto ainda se vive.

Nenhum comentário:

Postar um comentário